Arequipa

A Cidade Branca do Peru

O Peru é um dos países da América do Sul que mais recebe turistas. Grande parte desse fluxo se explica pelas belezas naturais dos Andes e da cultura secular dos povos indígenas. Além de Cusco e Machu Picchu, destinos mais famosos, vale a pena conhecer a cidade de Arequipa.

Arequipa, Peru. Fonte: karlnorling, Flickr.
Arequipa, Peru. Fonte: karlnorling, Flickr.

Conhecida como “Cidade Branca”, por conta da cor da maioria das suas edificações, Arequipa abriga grande parte da elite peruana, sendo uma das cidades mais ricas do país. Além disso, é Patrimônio Mundial segundo a UNESCO e dispõe de diversos atrativos. Confira tudo sobre a cidade neste texto!

História de Arequipa

Centro de Arequipa. Fonte: karlnorling, Flickr.

A cidade foi fundada no ano de 1540 pelo colonizador espanhol Francisco Pizarro. Vale destacar que no local existia uma antiga cidade Inca. Cercada por três vulcões, a cidade apresenta um horizonte singular, com a visão de três grandes montanhas.

Ademais, por estar localizado em uma região instável, a cidade já sofreu alguns grandes terremos no século XIX. Todavia, a cidade nunca mais sofreu fenômeno semelhante deste então. Grande das construções foi reconstruída de forma a resistir aos fenômenos naturais anteriormente citados.

Como ir para Arequipa

Lima é o principal ponto de chegada para quem deseja visitar qualquer cidade do Peru. A partir de Lima, você pode ir para outras cidades de carro, ônibus ou trem.

Todavia, para Arequipa, não é recomendado que você utilize estas opções, tendo em vista que a distância de uma cidade para outra é de 1.000 km aproximadamente.

Desse modo, a forma mais conveniente de chegar até Arequipa é por avião, partindo de Lima, que apresenta diversos voos diretos para a cidade. O Aeroporto Rodriguez Ballon se encontra a apenas 8 km do centro de Arequipa e é o principal ponto de chegada.

Mirador de Carmen Alto

O Mirador está em um local de grande altura. Desse modo, é ideal para quem aprecia olhar a paisagem e o horizonte. Também é importante para observar melhor a paisagem dos vulcões da cidade. Além disso, a oferta de frutas naturais e sucos são um ponto forte do local.

Desse modo, o local é muito apreciado pelos turistas durante o final da tarde, como espaço de contemplação.

Museu Arqueológico da Universidade San Agustín

Apesar do Império Inca ser o mais importante e relevante historicamente do Peru, outros povos se desenvolveram na região. Entre os principais deles, podemos destacar o Tiwanaku, Naza e Wari, além dos Incas.

Desse modo, o Museu Arqueológico da Universidade San Agustín se destaca por armazenar artefatos de todas as civilizações citadas anteriormente, assim como objetos de metais preciosos do período colonial.

Mosteiro de Santa Catalina

Monastério Catalina. Fonte: karlnorling, Flickr.
Monastério Catalina. Fonte: karlnorling, Flickr.

O Mosteiro de Santa Catalina é uma das principais edificações da cidade de Arequipa. Construída ainda no século XVI, é uma das mais antigas construções da cidade. Apesar de ser apenas um mosteiro, a edificação conta com uma grande área construtiva, se assemelhando a uma vila em dimensão.

Ademais, os tons forte de vermelho de suas estruturas chamam atenção. Outro ponto interessante a ser apontado é a abertura a visitação, que ocorreu apenas em 1970, após a visita do papa ao local.

Plaza de Armas

Flores na Plaza de Armas. Fonte: karlnorling, Flickr.

O urbanismo espanhol se destacava pelo sistema de “plaza mayor”, onde as edificações mais importantes são inseridas em uma grande praça central. Esta característica foi repassada para as suas colônias por meio das “ordenações Filipinas”, as primeiras recomendações urbanísticas da América.

Desse modo, assim como Cusco, a cidade de Arequipa possui a sua “plaza mayor”, cercada pelas edificações mais importantes da cidade, como edifícios públicos e a Catedral. Além disso, conta com um excelente trabalho de paisagismo, com lindas flores e plantas típicas da região dos Andes.

Museu dos Santuários Andinos da Universidade Santa Maria

Universidade Santa Maria, em Arequipa, sede do Museu arqueológico. Fonte: http://estudandomedicinaandes.blogspot.com/
Universidade Santa Maria, em Arequipa, sede do Museu arqueológico. Fonte: http://estudandomedicinaandes.blogspot.com/

Este Museu é um dos mais importantes da cidade de Arequina. Nele estão importantes descobertas arqueológicas da região, como a múmia de uma criança do século XV, que foi mumificada em um ritual religioso Inca.

Juanita, como é foi apelidada a múmia, se destaca pelo seu estado de conservação, que permitiu que historiadores e pesquisadores da civilização Inca descobrissem diversos detalhes sobre os rituais macabros de sacrifício humano que eram praticados.

Ademais, vale destacar que Juanita fica exposta entre os meses de maio e dezembro. Nos meses restantes, outra múmia, menos relevante, fica exposta. O procedimento adotado serve para preservar esta importante descoberta arqueológica.

Catedral de Arequipa

Catedral de Arequipa. Fonte: Javier Távara, Flickr.
Catedral de Arequipa. Fonte: Javier Távara, Flickr.

A Catedral de Arequipa é uma das principais edificações da cidade. Construída há muitos séculos, a igreja foi reconstruída diversas vezes. A principal reforma se deu no século XIX, quando ela foi praticamente reconstruída. De coloração esbranquiçada, devido ao uso de “sillares”, a igreja reforça a arquitetura local.

Ademais, a última reforma na igreja se deu após um tremor de terra no ano de 2011. Além da coloração e idade longeva, a igreja se destaca por sua suntuosidade, luxo e bom gosto.

Yanahuara

Yanahuara
Yanahuara

Yanahuara é um bairro colonial tradicional da cidade de Arequipa, no Peru. Desse modo, para quem deseja mergulhar em outra época, vale a pena visitar esta pequena vila. As ruas estreitas com construções esbranquiçadas por conta dos “sillares” são um convite aos passeios.

Praça de Yanahuara
Praça de Yanahuara

Ademais, vale a pena perambular por horas nesta pequena vila, observando a arquitetura colonial simples, mas de rara beleza. Por outro lado, vale a pena comprar diversos artigos de artesanato no local. Além disso, pequenos bares, lanchonetes e restaurantes são bastante atraentes.

Vulcões

Vulcão El Misti. Fonte: karlnorling, Flickr.
Vulcão El Misti. Fonte: karlnorling, Flickr.

Conforme destacamos anteriormente, os vulcões fazem parte da paisagem de Arequipa. Desse modo, ainda que você não deseje os visitar, eles farão parte constante da viagem para Arequipa. Caso tenha vontade de visitá-los, há diversas excursões que partem de Arequipa para os vulcões.

Ademais, vale destacar que a cidade possui três vulcões:

  • Chachani, o mais alto deles, com mais de 6 mil metros de altitude e, por conta disso, apresenta constante presença de neve em seu cume;
  • Pichu Pichu, que conta ao todo com sete picos e está extinto, ou seja, sem risco de voltar à atividade;
  • El misti, que se encontra adormecido e cuja última erupção foi em 1985.

Quando ir para Arequipa

Arequipa é conhecida por apresentar dispor de 300 dias ensolarados por ano, o que torna a cidade visitável durante boa parte do tempo. Desse modo, a menor parte do ano, de janeiro a março, é o período em que ocorrem as precipitações de chuva. Elas podem acabar atrapalhando os passeios.

Assim sendo, é melhor que você escolha uma data não inserida nestes meses. Outro ponto relevante a se destacar é o clima da cidade, seco, mas agradável, com temperaturas que variam entre 25º C e 10º C, raramente saindo deste padrão.

Ademais, vale pontuar que a melhor época do ano para visitar a cidade de Arequipa é durante o inverno, cujo os dias são frios e ensolarados, ideais para passear pela cidade ou fazer excursões nos vulcões.

Cultura

Vestuário típico de manifestação típica Inca em Arequipa. Fonte: David Blurton, Flickr.
Vestuário típico de manifestação típica Inca em Arequipa. Fonte: David Blurton, Flickr.

Conforme destacamos anteriormente, boa parte das construções da cidade são brancas. Essa coloração se deve ao uso dos “sillares”, material extraído a partir de pedras vulcânicas da região.

Nos diversos museus da cidade você conhecerá um pouco mais sobre a cultura Inca, inclusive sobre os sacrifícios humanos que eram realizados. Nos mercados, nas casas de artesanato você aprenderá um pouco mais sobre a alimentação, vestuário e demais costumes dos povos andinos do Peru.

Ademais, nas Catedrais e Igrejas da cidade você verá como o catolicismo e a fé cristã, trazida pelos espanhóis, se tornou parte vital da cultura contemporânea do Peru.

Dicas de viagem

Além do que já foi falado, sobre os meses menos indicados para viagem, isto é, de janeiro a março, vale a pena destacar outros pontos. Em primeiro lugar, a questão do frio típico dos Andes. Em Arequipa, por conta do ar seco e grande altitude, a temperatura costuma cair bastante durante a noite.

Além disso, os fortes ventos fazem a sensação térmica cair bastante. Desse modo, leve sempre um agasalho para se proteger do frio, especialmente durante os meses de inverno, que são os mais propícios para visitação.

Ademais, a sugestão é ainda mais válida para quem deseja fazer excursões pelos vulcões que cercam a cidade de Arequipa.

Gastronomia

Comida típica peruana. Fonte: karlnorling, Flickr.
Comida típica peruana. Fonte: karlnorling, Flickr.

A comida peruana é bastante diversificada, e tem como influência tanto a comida típica dos Andes e dos povos Incas, quanto dos colonizadores espanhóis. Entre os principais elementos que compõe esta culinária, podemos destacar o milho, a batata e a carne de alpaca.

Entre os principais restaurantes de Arequipa, temos:

  • Zig Zag;
  • Chicha por Gaston Acurio.

Ambos especializados em comida peruana.

Conclusão

Assim sendo, o Peru é um destino imprescindível para quem deseja conhecer a América do Sul mais profundamente. Berço de uma das maiores civilizações pré-colombianas, o país apresenta diversos atrativos e Arequipa, tanto por sua arquitetura quanto por sua geografia, se destaca.

E você, o que está esperando para conhecer Arequipa, a Cidade Branca do Peru?

Dica => Acomodações em Arequipa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *