Jujuy, Argentina

Uma viagem à quebrada de Humahuaca

Jujuy. Fonte: Leandro Kibisz
Jujuy. Fonte: Leandro Kibisz

Jujuy, do Cerro de Siete Colores ao bordado de seus cactos. Assim, está no meio de uma forte cultura de autênticas aldeias enraizadas na Quebrada de Humahuaca.

No norte argentino há a província de Jujuy que é delimitada ao norte pela Bolívia, a oeste pelo Chile (Cordilheira dos Andes) e ao sul pela cidade de Salta. Todavia, pode-se dizer que é um lugar ideal para quem gosta de apreciar montanhas, visitar cidades coloniais, mergulhar nas culturas dos povos originários e aprender sobre outras tradições e costumes.

Jujuy é uma terra de contraste, onde a natureza se exibe aos olhos de qualquer turista.  Dessa maneira é impossível que as cores de suas montanhas passem despercebidas pelos visitantes que vão à esta terra de diversidade climática.

É lá que se encontra “La Quebrada de Humahuaca”, um sítio histórico que foi declarado Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade pela Unesco, devido às paisagens únicas e aldeias, as quais conservam grande quantidade de restos arquilógicos pré-colombinos e também coloniais.

Jujuy é não é só Purmamarca, mas Tilcara, Humahuaca, as Salinas Grandes, a Pachamama, é o carnavalito.

San Salvador de Jujuy

Quando chegar a Jujuy, reserve algum tempo para conhecer a capital. Não só para explorar o Museu de Arqueologia e para tirar uma foto na Casa do Governo. Mas também para ver a bandeira original da Argentina, dada pelo General Belgrano em 1812, pelo triunfo na Batalha de Salta.

Então, de lá, vá para a famosa Quebrada de Humahuaca, onde estão concentradas as melhores atrações turísticas da região.

Purmamarca

Purmamarca. Fonte: https://comerdormirviajar.blog.br
Purmamarca. Fonte: https://comerdormirviajar.blog.br

Esta é a primeira vila de La Quebrada e um dos mais belos cartões postais de Jujuy. Purmamarca fica no sopé da colina Siete Colores, que, desse modo, fascina tanto pelo tamanho quanto pela beleza. Ademais, as cores são obtidas a partir dos tons de minerais com mais de 400 milhões de anos.

Além disso, o que também marca este lugar são as casas de adobe que revestem as ruas e o popular mercado de artesanato com uma variedade de cerâmicas e têxteis.

Decerto, você não pode desconsiderar que as cores características da cultura indígena local convidam você a comprar. Mas sugerimos que você espere um pouco mais até chegar a Humahuaca, onde os preços são mais baratos.

Nas proximidades, há o cemitério que é válido para visitar por suas lápides com cruzes de madeira, com guirlandas de flores coloridas e montes de pedra. Sem dúvida, você vai se dará conta que não é um cemitério como em geral estamos acostumados a ver.

Jujuy é uma província cheia de cultura indígena. No total existem 9 comunidades, Atacama, Kolla, Guarani, Kolla Guaraní, Ocloya, Omaguaca, Tilián, Toara e Toba. Decerto, a beleza cênica do lugar seduz a todos que passam por ali.

Salinas Grandes

Salinas Grandes. Fonte: german, Flickr.
Salinas Grandes. Fonte: german, Flickr.

Deixando para trás Purmamarca pela Cuesta de Lipán (rota nacional 52) é que você encontrará as Salinas Grandes. A estrada parece uma grande serpente, onde o carro vai ziguezagueando por uma estrada toda pavimentada e com uma majestosa paisagem que convida a parar no mirante para tirar fotos.

Chegando às Salinas Grandes, verá o terceiro maior salar do mundo e, ainda mais, está a 4.170 metros acima do nível do mar. No entanto, tenha cuidado para não ter vertigem. Todavia os nativos indicam mastigar folhas de coca antecipadamente para não passar por este desconforto.

Este gigantesco deserto de sal tem piscinas onde o produto é removido para industrialização e onde você também pode comprar artesanato feito de sal.

Além disso, se você é uma pessoa criativa para fotos, este lugar é perfeito! A planície branca projetada no horizonte permite efeitos fotográficos fantásticos quando reproduzidos em perspectiva. Por certo, na viagem, este pode ser um momento divertido.

Nesta jornada, você ainda pode conhecer a vinícola Fernando Dupont Maimará. Lá você poderá desfrutar dos vinhos (Malbec, Cabernet Sauvignon e Syrah) que atingem sua maturidade ótima devido à alta altitude, obtendo uma alta concentração de aromas, cores e sabores. Sem dúvida, vale a pena tentar!

Retornando a Purmamarca, “Los Morteros” é indicado para o almoço. É um restaurante que serve excelente comida regional. Como entrada, sugere-se experimentar suas excelentes empanadas. Ademais, é um restaurante, muito bom e com bom serviço.

Tilcara

A próxima parada é Tilcara, que tem 2.461 metros de altura. Esta autêntica cidade deve ser explorada pelo grande movimento de turistas e suas particularidades. Em seguida, você deve visitar a Pulcara de Tilcara, que é um assentamento pré-Inca, que foi habitado pela tribo Omaguacas. Este sítio arqueológico foi uma fortaleza construída para que os povos nativos pudessem se defender dos ataques de outras tribos.

Outro ponto que deve ser conhecido é o Museu Arqueológico e Antropológico (Dr. Eduardo Casanova), localizado na Praça Prado de Tilcara. Ademais, é um espaço no qual o passado da região e sua valorização cultural são abordados.

Com sua múmias, vestuário e artefatos de povos pré-históricos de Chile, Peru, Bolívia e Argentina, o museu tem um material arqueológico valiosas sobre a cultura Inca, Nazca, Moche, Chimu, e Tiahuanaco.

Garganta del Diablo

Garganta del diablo. Fonte: Aron Forcelli.
Garganta del diablo. Fonte: Aron Forcelli.

No entanto, para os mais aventureiros, Tilcara oferece a Garganta del Diablo. Como o cartaz diz que você vai encontrar na estrada “nada é longe” e realmente quando você chegar a mais de 5 mil metros neste impressionante desfiladeiro você vai entender o porquê.

Se você tem medo de altura, é melhor não arriscar. Contudo, se você gosta de estradas com muita adrenalina, este é o momento certo para experimentar caminhadas por formações rochosas, com subidas e descidas de grandes alturas, no meio de cachoeiras que estão pelo caminho.

A Garganta del Diablo, é uma magnífica formação rochosa natural que atrai quem procura grandes aventuras.

Onde se divertir em Tilcara

Esta cidade também é sinônimo de diversão e boa comida. É bom para comer enquanto desfruta de um show no La Peña de Carlitos, que fica em frente à praça. Lá você pode saborear um bom locro, guisado de fogo ou provar vinhos, licores caseiros ou tomar um café.

La Picadita, também é um ótimo lugar para comer. A casa tem uma excelente cerveja, sanduíches e uma calorosa atenção.

É sempre bom avisar que La Quebrada de Humahuaca é também uma jornada gastronômica muito diversificada e econômica.

Humahuaca

Finalmente, chegamos a Humahuaca, uma cidade muito peculiar, por sua cultura, comidas típicas, artesanato e festas. É impossível não se apaixonar por este lugar.

Humahuaca fica a 3.000 metros acima do nível do mar. Um espetáculo da natureza através das montanhas e da vegetação dos cardons.

É um lugar para caminhar devagar, apreciando as belezas das casas antigas, a Igreja da Catedral de Nossa Senhora da Candelária. Para a construção do Cabildo de Humahuaca, que é um museu e tem um relógio em sua torre (ao meio-dia há uma imagem de São Francisco Solano).

Outros pontos turísticos são o Monumento aos Heróis da Independência, a Torre de Santa Bárbara, o Museu Arqueológico e Histórico e o Museu Folclórico Regional.

Contudo você não pode esquecer que é no mercado de artesanato de Humahuaca que você vai ter lembranças regionais e produtos a preços melhores. Tudo fofo e com cores intensas.

Além disso, o que marca a Quebrada de Humahuaca é a gentileza de seu povo. Por certo você sempre escutará as pessoas de Jujuy dizer “que bom que você veio nos conhecer”.

É assim em qualquer dia do ano. Na Festa da Pachamama, nas peñas e no carnaval.

Festa da Pachamama

Pachanama. Fonte: http://blog.redbus.pe
Pachanama. Fonte: http://blog.redbus.pe

Em Humahuaca Pachamama é comemorado em 1 de agosto, onde as celebrações são realizadas em um poço na terra, onde as pessoas simbolicamente devolvem alimentos e bebidas para agradecer a Mãe Terra.

Na Argentina, principalmente no noroeste, o Pachamama é um festival de tradição pré-incaica. De fato é uma veneração à Mãe Terra, à fertilidade, à produção e à geração de plantas, animais e alimentos que o ser humano precisa subsistir.

Carnavalito

Há também o Carnaval Humahuaca, introduzido na cidade pelos espanhóis, mais do que ganhou ali um espírito próprio quando misturado com os rituais indígenas. Pois acontece no início da Quaresma, com danças, bebidas, máscara disfarçada, talco, serpentinas, demônios disfarçados e raminhos de manjericão.

Durante 8 dias os comparsas dançam os carnavais pelas ruas e terminam no “Domingo da tentação” com o funeral do diabo.

Onde comer em Humahuaca

Por certo, existem vários lugares que se pode comer em Humahuaca e os melhores a preços muito baratos. Ademais, os restaurantes em geral são muito limpos, decorados com cardones e cerâmicas indígenas, com excelente comida e atendimento de qualidade.

Desse modo deixamos aqui as sugestões: Paka Manka, Restaurante La Tuna, La Cacharpaya, Pinóquio, entre outros.

O importante nessa região é saber que é muito fácil se perder na natureza e na cultura de Jujuy. Além disso, é muito difícil não querer viver novamente a cultura que está apenas nesse canto. É por isso que é sempre bom conhecer cada pedacinho desse lindo lugar.

Dica => Acomodações em Jujuy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *