El Bolsón e Lago Puelo, Argentina

Recanto de Paisagens Incríveis

Lago Puelo. Fonte: Sam Beebe.
Lago Puelo. Fonte: Sam Beebe.

El Bolsón é uma cidade localizada a 120 km ao sul de São Carlos de Bariloche e faz parte da província de Rio Negro. A localidade possui esse nome porque está em um vale rodeado de muitas montanhas e bosques. A montanha mais importante da localidade é o Cerro Piltriquitrón.

Este morro protege a cidade dos ventos forte e, por isso proporciona o clima ideal para as plantações de frutas finas e lúpulo.

Ademais, esta linda cidade se encontra aos pés da Cordilheira dos Andes. Ela está no limite da província de Chubut.

Será uma exuberante viagem ao longo da Rota 40 (Ruta 40) e assim chegar a esta região denominada Comarca Andina del Paralelo 42.

A cidade é bastante procurada por aqueles que amam fazer atividades ao ar livre como, por exemplo, cavalgadas, trekking, rafting, pesca e montanhismo. A natureza intacta te convida ao relaxamento.

Assim sendo, te convidamos a conhecer mais uma linda cidade do sul argentino.

Como Chegar

El bolsón. Fonte: Telping, Flickr.
El bolsón. Fonte: Telping, Flickr.

Para ir para El Bolsón, o visitante poderá ir de avião, de ônibus ou de carro.  Primeiramente falaremos de opções saindo de Buenos Aires.

Caso opte por ir de avião, o turista deverá sair de Buenos Aires e ir até Bariloche e de lá tomar um coletivo até a cidade de El Bolsón. Esta viagem tem a duração aproximada 8 horas.

Contudo, a opção mais econômica é ir de ônibus. A duração desta viagem seria de mais ou menos 23 horas. Mas não se preocupe, pois, a Argentina possui ônibus muito confortáveis para viagens longas. Inclusive algumas companhias possuem ônibus leito, servem as refeições e até mesmo champanhe.

Porém estes serviços têm um preço e, portanto, dependerá muito do quanto o turista esteja disposto a pagar por tais serviços.

Todavia, se já estiver em Bariloche, é uma ótima opção visitar esta encanadora cidade. O turista poderá ir de ônibus, carro ou através de passeio organizados por agências de turísticas locais. Fica a 1:30 de Bariloche e a 2 horas de Esquiel.

Quando Ir

Seguramente é possível visitar El Bolsón tanto no inverno quanto no verão, pois, a paisagem muda bastante entre as duas estações. Sua beleza e diversidade são singulares.

No outono chove dia sim, dia não, porém isso não diminui em nada as atrações do lugar. Ademais, está é a época em que os preços são menores e a feira tem menos artesãos. Geralmente 60 artesãos que vivem na localidade.

O que conhecer em El Bolsón?

A cidade possui lugares imperdíveis para conhecer. Afinal é a cidade dos hippies, dos duendes e da boa vibração. Em seguida descrevemos alguns dos lugares que vale a pena a visita.

Centro da Cidade e Feira Artesanal

Esta é uma pequena cidade, com 14 mil habitantes. Rodeada por bosques, picos nevados e águas puras. O ponto de encontro dos moradores é a praça Pagano, que abrange vários blocos e tem um lago no centro. Ao redor da praça há cervejarias, lojas de souvenires, restaurantes, bem como o mercado de artesanato, embora não esteja aberto todos os dias. Em frente à praça se situa a Igreja de Nossa Senhora de Luján.

Outra atração é a feira regional com mais de 300 barracas que vendem produtos locais e de artesanato. É uma das mais famosa da Patagônia. Há artesanatos feitos de diversos materiais, tais como: lã, madeira, couro, vidro, metais, flores secas, argila, etc.

Mirador Cabeza Del Indio

Mirador Cabelza del Indio. Fonte: https://www.rionegro.com.ar
Mirador Cabelza del Indio. Fonte: https://www.rionegro.com.ar

Para chegar ao Mirador Cabeza del Indio, há que ir em direção ao rio Quemquemtreu e cruzar a ponte. No entanto, informamos que esta ponte é a única da região que poderá ser atravessada com veículo.

Este passeio pode ser feito de carro, à pé ou em excussões de bicicleta e a cavalo. Deste ponto turístico tem-se uma esplendia vista do vale. Na parte mais alta há rochedos que possuem formas curiosas. Dependo do angulo, é possível ver a forma da cabeça humana. Na região, essa forma é conhecia como Cabeza del Indio.

A trilha tem baixo grau de dificuldade e poderá ser realizado em qualquer época do ano. Entretanto, recomenda-se ir com calçado confortável.

Cajón Del Azul

Cajón del Azul. Fonte: https://www.trover.com
Cajón del Azul. Fonte: https://www.trover.com

É uma ravina com 1 metro de largura e 40 de profundidade. É uma área de reserva e por isso não é permitida a entrada de motos e carros. O acesso é caminhando ou com cavalo com um guia que os acompanha todo o percurso.

A caminhada é feita entre 3 e 4 horas, com muitas subidas. O ritmo dependerá de cada participante. Certamente a vista compensa. No caminho o turista verá um vale lindo, uma ponte suspensa, cruzará o rio Azul e finalmente chegará ao Cajón Azul. Neste momento, você verá o rio e saberá exatamente porque ele recebeu este nome.

Parque Nacional Lago Puelo

Este parque se localiza na província de Chubut e pertence a ecorregião dos Bosques Patagônicos. O nome do parque deriva da língua mapuche e significa água. Dentro do parque se encontra o Lago Puelo. Este lago desagua no pacífico. O visitante poderá ir de carro ou de ônibus.

Aliás, no lago há espaço possui uma praia de pedras e é permitido fazer piquenique. Também conta com acampamento, mirantes e um porto de onde saem excursões pelo lago.

O clima é frio úmido. No entanto é mais temperado que de outros parques da região. As temperaturas variam de 17º C (no verão) a 5º C (no inverno). A quantidade de chuva no ano chega ao redor de 1.400 mm, na área de recreação. As chuvas acontecem entre maio e agosto. Ademais, nos meses frios podem ocorrer nevascas.

A melhor época para visitar é o final da primavera, verão e início do outono (novembro-abril).

Cervejarias Artesanais

Essa é uma dica para os amantes de cervejas artesanais. Esta cidade faz parte do Circuito Cervejeiro Andino. Fazem parte as cidades de El Hoyo, Epuyén, El Bolsón y Lago Puelo. Assim sendo, elas integram a “Comarca Andina del Paralelo 42º Sur”. São várias cervejarias artesanais em plena cordilheira patagônica onde o visitante pode degustar deliciosas cervejas.

Com toda a certeza,  existem várias cervejarias artesanais na cidade, porém somente 5 fazem parte do circuito. Sendo elas: Cervecería El Bolsón (possui cervejas para celíacos), Otto Tipp Cervecería Patagónica, Rupestre Cerveza Artesanal, Piltri Cerveza Artesanal, Cerveza Dragón Verde.

Conta a lenda que o Alemão Otto Tipp, foi o primeiro a plantar o lúpulo e produzir as cervejas artesanais na região. Então, a partir de 1957, o lúpulo começa a ser comercializado.

A produção de cerveja artesanal de El Bolsón é reconhecida local e nacionalmente. Também acontece a festa, no mês de fevereiro/março, onde há degustação, venda e exposição de artigos regionais, danças e shows artísticos.

Museo Ornitológico Paseo de las Aves

Este passeio é recomendado para a família.  Porque aqui é possível conhecer a avifauna da Patagônia.

Os Irmãos Kovacs, desde 1952, estudaram as aves da Patagônia para museus de todas as partes do mundo e então iniciaram a coleta de espécies.

O museu foi fundado e inaugurado em 1995. Entretanto, é uma importante atração cultural e visitado por estudiosos, ornitólogos, pesquisadores e entusiastas do estudo da natureza. Além disso, vêm para buscar informações e adquirir conhecimento sobre a vida das aves que habitam esta região.

Cerro Piltriquitrón

Cerro Piltriquitrón. Fonte: Marcelo Vieira.
Cerro Piltriquitrón. Fonte: Marcelo Vieira.

Na língua Mapuche, Piltriquitrón significa “colina pendurada nas nuvens”, pois, faz referencia a sua localização e sua forma.

Embora seja uma área rural e as estradas são de cascalho, deste ponto é possível ter acesso ao Perito Moreno, que fica a 52 km (ida e volta) da cidade.

Na encosta da montanha o turista encontrará casas de chá, oficinas artesanais, complexos de cabas e locais que organizam cavalgadas. Além disso, para os mais corajosos, é possível praticar parapente. É um dos melhores pontos do país para pratica deste esporte.

O abrigo da colina fica a 1200 metros acima do nível do mar e , portanto, deste local, no outono e verão, é possível ver o vulcão Osomo que se localiza na República do Chile.

Essa montanha protege El Bolsón e torna o clima propício para a agricultura.

Bosque Tallado

Esse bosque se originou em uma floresta incendiada. Desse modo, nasceu uma exposição artísticas com peças em madeira única no mundo.

A floresta esculpida localiza-se perto da cidade e encanta a todos com as grandes arvores que viraram esculturas. De fato, é um museu a céu aberto.

Decerto, o Bosque foi tomando vida nas ladeiras do Cerro Piltriquitrón, que estão a mais de 1500 metros acima do nível do mar.

São 31 esculturas que nasceram a partir de lengas que escaparam do incêndio de 1982. Com o fim de reviver o espírito da terra, foi organizado um encontro nacional de esculturas e assim se deu origem a este bosque.

O Bosque Tallado é um dos lugares mais visitados da “Comarca andina del paralelo 42”.

Cascada Escondida

Trata-se de uma cachoeira de 35 m de altura que corre sobre a rocha. Deste ponto, cai em uma piscina, que então é drenada para o córrego do meio. De fato, esta área é uma reserva florestal com várias trilhas interpretativas que permitem entender melhor a floresta, e um Jardim Botânico com espécies não só nativas, mas também exóticas. O acesso poderá ser feito por bicicleta, a pé ou de carro.

Cascada Mallin Ahogado

Te contamos que este é um dos destinos preferidos dos jovens e das famílias que amam paisagens montanhosas.

Pode ser acessado de carro, por trekking ou a cavalo. Assim que o acesso está localizado a 4 km da cidade pela rota 40 Norte e é uma área de produtores de Lúpulo, frutas de excelente qualidade, elaboração de queijo e artesãos.

A cachoeira tem 30 metros de altura e termina em juma grande piscina. A cachoeira está localizada dentro da reserva Loma del Medio – Rio Azul que pertencente ao INTA. Aliás, possui uma área de lazer com um Jardim Botânico e uma área de piquenique com fogueiras

Gastronomia

Assim como em vários lugares na Argentina, em El Bolsón a proposta gourmet é marcante. São 43 restaurantes na região. Deixaremos aqui algumas dicas.

Primeiramente indicaremos é o Tsunami 70. Ele é o eleito dos moradores da região e é bastante popular. No entanto, a comida servida é espanhola, porém feita com produtos locais.

Em seguida indicaremos o restaurante Jauja, verdadeiro representante da gastronomia de El Bolsón. A proposta do restaurante é uma cozinha clássica com notas de modernidade.

Ademais, também os restaurantes La Gorda, Patio Cervecero El Bolsón – Centro, Los Lupos y Tomatican. Todos possuem preços moderados.

Dessa maneira esperamos que curta muito sua ida a El Bolsón!

Dica => Acomodações em El Bolsón

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *