Puno, a cidade do Titicaca Peruano

O Peru é um país que apresenta lindos lagos ao longo de vários locais do seu território. Entre as cidades que possuem lago, Huaraz e Puno merecem destaque. Esta última tem acesso direto ao grande lago do Titicaca, que está inserido na fronteira entre Peru e Bolívia, na região dos Andes.

Com o intuito de apontar todos os pontos positivos desta região peruana, fizemos este breve artigo especialmente para você. Aqui abordaremos sobre as principais informações que você deve levar em consideração antes de visitar esta cidade peruana. Continue lendo e confira!

Curiosidade sobre Puno

Lago do Titicaca ao fundo, grande atrativo de Puno. Fonte: Robert Luna.
Lago do Titicaca ao fundo, grande atrativo de Puno. Fonte: Robert Luna.

Puno não é uma grande cidade Peruana. Sua atração, em maior parte, se dá pelas atrações do lago Titicaca, um dos maiores de toda a América do Sul — dividido entre dois países, Peru e Bolívia, além de ser o lago navegável de maior atitude do mundo — estando quase a 4 mil metros do nível do mar.

Segundo a tradição Inca, no Titicaca que surgiu a civilização sob ordens do Deus Sol. O lago é alimentado pelo degelo dos Andes e pelas águas da chuva. A cultura dos povos que habitam o entorno do lago, assim como as ilhas artificias, acabam se tornando grande atrativo do lago Titicaca.

Como chegar em Puno

A cidade de Puno se encontra a um pouco mais de 300 km de distância da cidade de Cusco. Para chegar até a cidade, você deve pegar um voo com destino até a cidade de Juliaca, distante 30 km de Puno. Desse modo, a cidade de Cusco e a capital Lima são as principais alternativas.

Ademais, há também a possibilidade de ir de ônibus. As opções mais viáveis partem da cidade de Arequipa e de Cusco. A viagem custa em média R$ 35 e conta com 6h 30 de duração. A opção de alugar um carro existe, mas é a menos cômoda e a mais perigosa.

Centro de Puno

Apesar da cidade não ser muito atrativa em si, ao contrário de outras cidades, como Arequipa, há algumas edificações e bairros que vale a pena visitar. Desse modo, o centro da cidade é o principal destino, pois concentra os principais bares e restaurantes da cidade, além das edificações.

Entre as principais edificações, podemos destacar a Catedral de Pumo, Plaza de Armas, Mirador El Condor, etc.

Catedral de Puno

Catedral de Puno. Fonte: pululante, Flickr.
Catedral de Puno. Fonte: pululante, Flickr.

Esta é a principal edificação da cidade e mostra diretamente a influência dos conquistadores espanhóis na formação da cidade. Em estilo barroco, a igreja se destaca pela sua suntuosidade.

Além disso, elementos de outros estilos locais fazem com que ela se torne bem diferente das igrejas que conhecemos em outras regiões da América do Sul. Portanto, vale a pena visitar esta edificação para conhecer a cidade de Puno.

Portal de Aramu Muru

Portal de Aramuru Muru. Fonte: https://poraialieaqui.wordpress.com/
Portal de Aramuru Muru. Fonte: https://poraialieaqui.wordpress.com/

Este local consiste em um monumento de pedra esculpida in loco pelas antigas civilizações que habitavam a região de Puno. Ela é popularmente conhecida como “Portão dos Deuses” e permaneceu após a queda dos antigos incas.

Mirante el Condor

Mirante El Condor. Fonte: https://www.trover.com.
Mirante El Condor. Fonte: https://www.trover.com.

O Mirante El Condor é de onde você pode obter a mais bela vista da cidade de Puno, assim como do lago do Titicaca. O mirante recebe esse nome por conta da possibilidade de avistar alguns condores, árvore símbolo da região.

Desse modo, para quem pernoita em Puno, vale a pena esperar até o pôr do sol na cidade. Ao final da tarde, comece a se deslocar até o mirante para contemplar a bela paisagem que o pôr do sol forma na cidade.

Ademais, a dica que fica é ir até o mirador de táxi, visto que não há grande variedade de linhas de ônibus que o levem até a região. Ao chegar no local, é necessário subir 620 até chegar ao mirante. Ao final, todo o esforço é recompensado pela linda paisagem local!

Ilha de Taquile

Ilha de Taquile. Fonte: Wikimedia.
Ilha de Taquile. Fonte: Wikimedia.

Assim como as ilhas artificiais, Taquile merece destaque. Possui pouco mais de 2 mil habitantes, mas funciona de forma quase autônoma do Peru, o que dá a impressão de ali existir um país próprio, respirando sua própria cultura.

Desse modo, a culinária, os hábitos e as vestimentas são bem diferentes do que em Puno. Localizada em grande altitude, a programação mais sugerida é o chá de muña, sopa de quinoa e Inka Cola (o refrigerante mais vendido no Peru).

Complexo Arqueológico de Sillustani

Complexo arqueológico de Sullistani. Fonte: Esmée Winnubs.
Complexo arqueológico de Sullistani. Fonte: Esmée Winnubs.

Este sítio arqueológico guarda elementos e construções do Reino de Colla. Entre as principais curiosidades sobre os elementos ali encontrados, destacam-se as joias e pedras preciosas.

Ademais, as torres de pedras, degastadas pelo tempo, ainda são exemplos da grande civilização que ali um dia estabeleceu às suas cidades e templos.

Ilhas Flutuantes de Uros

Ilhas Flutuantes de Uros. Fonte: Steve Burt.
Ilhas Flutuantes de Uros. Fonte: Steve Burt.

Cartão postal da cidade de Puno e do lago do Titicaca, estas ilhas flutuantes se encontram há 20 min de navegação da cidade de Puno. A apresentação do local geralmente é realizada por um nativo em língua local.

Desse modo, é importante levar um guia tradutor (para traduzir o assunto para o espanhol). A visita pode ser feita tanta em barcos modernos quanto nos tradicionais barcos, usados há séculos pelas populações locais para se locomover pela região do lago do Titicaca.

Ilha flutuante de Uros. Fonte: erico luxero.
Ilha flutuante de Uros. Fonte: erico luxero.

Ademais, o segredo é aproveitar bem a vista e a experiência do passeio, comprar os artesanatos produzidos pelos locais nas vilas e tomar um chá de munã ou coca.

Quando ir

Apesar de ser visitável durante o ano inteiro, os melhores meses para realizar a viagem até a cidade de Puno são de janeiro a maio e agosto a dezembro. Evitando, portanto, os meses de junho e julho.

Junho e julho são os meses mais frios do ano, fator que é acentuado por conta da alta altitude da região (que faz com que a temperatura caia ainda mais).

Ademais, os meses mais quentes estão compreendidos entre janeiro a maio e outubro a dezembro. Por fim, os meses mais chuvosos são janeiro, fevereiro e dezembro. Desse modo, as chuvas destes meses podem acabar atrapalhando alguns passeios.

Todavia, devido a elasticidade do período de visitação a cidade de puno, há grande versatilidade na época da sua escolha de conhecer o loca. Una o útil ao agradável e escolha a melhor opção para você e sua família.

Cultura

Como você deve imaginar, a cultura local é bastante tradicional, tendo influência dos diversos povos indígenas que habitaram a região antes e depois da chegada dos dominadores espanhóis. Além disso, por ser o berço da civilização inca, ainda muito de sua cultura em diversos elementos.

Desse modo, nas vestimentas, na construção de suas casas, nos barcos que fazem o trajeto entre o lago Titicaca, na comida, na música, a cultura inca se faz presente. Contudo, vale destacar que esta não é a única cultura a influenciar a região.

Muitos outros povos indígenas, como os uros — considerados por muitos especialistas os sucessores dos povos incas, habitam a região até os dias de hoje.

Dicas de viagem

O lago Titicaca apresenta uma paisagem paradisíaca. O horizonte é formado pelas águas do lago, as montanhas nevadas dos andes e o céu azul do Peru. Além disso, a região apresenta uma cultura milenar, com traços dos povos incas e dos colonizadores espanhóis.

Dessa maneira, a viagem é indicada tanto para os amantes da natureza, que gostam de conhecer paisagens inesquecíveis, quanto para quem almeja conhecer diferentes povos e culturas. Vale a pena emergir na cultura local, comendo a comida local, vestindo as roupas tradicionais, etc.

Por fim, vale destacar que vale a pena incluir a cidade de Arequipa no seu roteiro de viagem pela cidade de Puno, devido tanto aos atrativos que Arequipa oferece, quanto pela relatividade proximidade entre as duas cidades.

Gastronomia

Frutas, legumes e raízes típicos da região. Fonte: bobistraveling, Flickr.
Frutas, legumes e raízes típicos da região. Fonte: bobistraveling, Flickr.

A gastronomia na região se assemelha muito a culinária de todo o peru. Ela reúne elementos típicos da culinária andina, inca e dos colonizadores espanhóis. Além disso, utiliza elementos comuns da região, como batatas, vegetais, demais raízes e carne de animais da região, como a alpaca.

Ademais, entre os principais restaurantes da cidade, podemos citar:

  • Mojsa Restaurant;
  • Tulipan’s Restaurant & Pizzeria.

Ambos especializados em gastronomia peruana.

Conclusão

Assim sendo, Puno, apesar de não ser o destino mais requisitado pelos turistas que chegam ao Peru, merece sua atenção na hora da elaboração do roteiro pelo país. O lago Titicaca, a cultura e história são elementos enriquecedores da viagem. E você, o que está esperando para conhecê-la?

Dica => Acomodações em Puno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *