O que fazer em São Miguel das Missões

São Miguel das Missões é um pequeno município brasileiro localizado a oeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ocupação datada ainda no século XVII, esse antigo povoado recebeu importantes expedições jesuíticas, que levaram a fé católica para o interior do Brasil e do Rio Grande do Sul.

Mas afinal, por que São Miguel das Missões merece destaque no cenário turístico regional e nacional? Com o objetivo de revelar a você essa resposta, fizemos este artigo. Aqui abordaremos sobre as principais informações sobre a cidade, dicas do que fazer. Leia e confira!

Curiosidades sobre São Miguel das Missões

Ruínas na cidade. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.
Ruínas na cidade. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.

Embora a fundação oficial da cidade tenha se dado apenas em 1988, o vilarejo conta com quase quatro séculos de história. Desse modo, há muito o que explorar pela região, que foi resultado, primeiramente, de um esforço da Companhia de Jesus para catequizar e cristianizar o interior do país.

Ademais, durante todo o processo, os jesuítas deixaram inúmeras construções. Muitas delas ainda se encontram de pé, em ruínas, o que garante uma experiência bem nostálgica. Por fim, o local abriga o Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Como chegar em São Miguel das Missões

Há várias alternativas para chegar até São Miguel das Missões. Todavia, é importante assumir Porto Alegre, capital do Estado, como ponto de partida. Em primeiro lugar, é necessário chegar até a cidade de São Ângelo, vizinha ao município de São Miguel das Missões.

Para tal, você pode ir de avião. Há uma linha da Azul que faz o trajeto de Porto Alegre até São Ângelo nos dias de segunda, quarta e sexta-feira. Em seguida, você pode pegar um transporte para chegar até São Miguel das missões ou alugar um automóvel.

Há também a opção de ir de ônibus, que percorre uma viagem de 57 km até chegar na pequena cidade de São Miguel das Missões. Por fim, para quem deseja ir de carro, é necessário pegar a BR-285 e a rodovia RS-536. A cidade se encontra a 16 km do entroncamento destas rodovias.

Sítio Histórico São Miguel Arcanjo

Sítio Histórico de São Miguel das Missões, tombado pela UNESCO. Fonte: Goldemberg Fonseca de Almeida.
Sítio Histórico de São Miguel das Missões, tombado pela UNESCO. Fonte: Goldemberg Fonseca de Almeida.

Os jesuítas construíram sete povoados jesuíticos-guarani que ocupavam a região do Rio Grande do Sul. Todavia, nem todos os assentamentos estão preservados até hoje. São Miguel do Arcanjo é o assentamento mais bem conservado e suas ruínas se tornaram um importante sítio arqueológico.

Ademais, como resultado desta preservação, recebeu o título de Patrimônio pela UNESCO em 1983. Neste local ocorriam as festividades dos guaranis e jesuítas, entre os séculos XVII e XVIII, até que a guerra Guaranítica destruiu o povoado.

Contudo, algumas das principais construções estão de pé até hoje. Portanto, é visita obrigatória para quem visita São Miguel das Missões.

Espetáculo de som e luz

Local onde ocorre o espetáculo de som e luz. Fonte: Rafael C. Beltrame.
Local onde ocorre o espetáculo de som e luz. Fonte: Rafael C. Beltrame.

Este é mais longo espetáculo sem interrupção de todo o Brasil. Ele ocorre no sítio arqueológico da cidade, e consiste em uma peça cênica que mostra aos visitantes a história da construção do lugar, assim como a ocupação do mesmo e a destruição dos povos jesuíticos guaranis durante a guerra.

Ademais, a peça dura por volta de 48 minutos e utiliza muitos recursos de som e luz. Além disso, vale destacar que os ingressos começam a ser vendidos 1 hora antes do show começar.

O horário do espetáculo varia de acordo com a época do ano, mas, em geral ele ocorre no período noturno, em horário que vária das 19 h às 22 h. Os ingressos vão de R$ 30 a R$ 50.

Museu das Missões

Museu das Missões, São Miguel das Missões. Fonte: Isabela Marques Leite de Souza.
Museu das Missões, São Miguel das Missões. Fonte: Isabela Marques Leite de Souza.

O museu das missões é um dos principais edifícios históricos de toda a região, pois guarda diversos elementos construídos durante o período em que índios guaranis e jesuítas formaram povoados em pleno interior do Estado do Rio Grande do Sul.

Desse modo, outro ponto que devemos destacar é o pioneirismo deste museu, pois foi uma das primeiras iniciativas do IPHAN em guardar a memória dos jesuítas em solo brasileiro, ainda na década de 1930.

Assim sendo, como forma de conhecer mais sobre a história local, a visita ao Museu das Missões é obrigatória.

Fonte Missioneira

Fonte Missioneira. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.
Fonte Missioneira. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.

Esta obra apresenta mais de 300 anos! Foi construída em estilo barroco no auge do período jesuítico guarani que imperou no Rio Grande do Sul até a Guerra Guaranítica. Esta obra foi descoberta em 1982 e já no ano de 1983 foi restaurada.

Além do seu estilo barroco, podemos apontar o uso de pedra grês como outro ponto diferencial desta fonte. A visitação ao local é gratuita e pode ser feita das 9 h às 12 h ou das 14 h às 18 h.

Pórtico de São Miguel das Missões

Pórtico São Miguel das Missões. Fonte: Herr stahlhoefer.
Pórtico São Miguel das Missões. Fonte: Herr stahlhoefer.

Este pórtico é um dos principais elementos da cidade, e você o avistará logo na chegada ao município de São Miguel das Missões. Esta obra foi edificada em homenagem aos missioneiros, que tanto contribuíram para a construção da cidade e formação cultural da região.

O pórtico possui diversas esculturas e homenagens tanto aos índios guaranis quanto aos jesuítas. Entre os homenageados, destaca-se Cristóvão de Mendonza e Sepé Tiarajú.

Ademais, há uma frase no pórtico “Esta terra tem dono”, grafado no idioma guarani “Co Yvy Oguereco Yara“. Esta frase teria sido dita por Sepé Tiarajú durante a guerra guaranítica.

Desse modo, localizado a 16 km da sede de São Miguel das missões, na RS- 536, o pórtico começa a inseri-lo na cultura e história local.

Fazenda da Laje

Nesta fazenda estão localizadas as principais pedreiras que serviam de matéria prima a construção da maioria das edificações jesuíticas da região. Dessa maneira, vale a pena conhecer este lugar para entender um pouco mais sobre a logística de construção dos assentamentos jesuíticos.

Aldeia Guarani

Índios Guaranis em são Miguel das Missões. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.
Índios Guaranis em são Miguel das Missões. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.

Conforme falamos ao longo de todo o texto, os índios guaranis têm grande influência na formação da região e da cultura local. Eles habitaram a região há 3.000 anos, até a chegada dos jesuítas ao local. Em 1990, índios guaranis retornaram ao local e ocuparam esta aldeia, que é aberta a visitas.

Quando ir para São Miguel das Missões

São Miguel das Missões é visitável durante o ano inteiro. Contudo, é importante estar atento quanto ao clima. No inverno, que vai de junho a setembro, as temperaturas caem bastante. Se você gosta do frio e de uma relação mais íntima com o inverno, vale a pena visitá-la nesse período.

Caso você não seja fã, evite essa época. Durante o verão, o céu limpo e calor podem ser mais agradáveis para você visitar as ruínas e outros atrativos históricos que a cidade tem a oferecer. Os eventos culturais ocorrem durante o ano todo, facilitando a sua decisão de quando visitar a cidade.

Cultura

Imagens sacras. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.
Imagens sacras. Fonte: Halley Pacheco de Oliveira.

Devido a influência dos jesuítas na fundação e formação da cidade, o elemento mais influenciador na cultura local é a fé cristã, assim como as suas tradições. Todavia, este não é o único elemento que alimenta a cultura regional.

Como você deve saber, a principal missão dos jesuítas era catequizar o interior do país, que, em sua maioria, era habitado por povos nativos. Desse modo, os povos nativos da região acabaram por influenciar alguns hábitos que permanecem até os dias atuais.

Marca da Companhia de Jesus no Brasil. Fonte: Ncijesuitas, Wikimedia..
Marca da Companhia de Jesus no Brasil. Fonte: Ncijesuitas, Wikimedia..

O próprio chimarrão, símbolo da cultura gaudéria, era um hábito típico dos índios que ocupavam o Rio Grande do Sul. Dessa maneira, visitando o local, você também pode conhecer mais sobre os povos originários do sul do país.

Dicas de viagem

Conforme adiantamos anteriormente, a cidade é visitável durante o ano inteiro. Dessa maneira, há maior elasticidade para você definir qual é a data mais conveniente para fazer a visita, seja nas estações mais quentes (primavera e verão) ou nas mais frias (outono e inverno).

Ademais, outro ponto importante a ser falado é a sobre o tamanho da cidade, que conta com apenas 7 mil habitantes. Foram os passeios históricos, você não encontrará atividades comuns a cidades grandes, por exemplo.

Desse modo, vá preparado para realizar uma viagem no tempo e na história do Brasil, tendo a consciência de que o local é uma cidade pequena, sem grandes atrativos de cidade grande. Todavia, há boa infraestrutura para recebê-lo no que diz respeito às pousadas, restaurantes, etc.

Gastronomia

O paladar na gastronomia da cidade se assemelha muito à gastronomia brasileira de forma geral. Desse modo, não é algo com o que você deva se preocupar. Há várias lanchonetes, pizzarias e restaurantes de comida caseira. Entre os principais, podemos citar:

  • Restaurante Aldeia Grill;
  • Restaurante Meu Cantinho.

Ambos especializados em comida caseira e regional.

Conclusão

Assim sendo, São Miguel das Missões é um paraíso no Rio Grande do Sul para você, amante de viagens históricas e culturais. As ruínas locais farão com que você se sinta em um destino único no país, rodeado por séculos de história. E você, o que está esperando para conhecer esse lugar?

Dica => Acomodações em São Miguel das Missões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *