Conhecendo Paraty – Centro histórico, praias e uma noite agitada!

A história de Paraty

Paraty é um município, conhecida principalmente pelas suas belezas naturais, e também arquitetônicas. Com um Centro Histórico que permite que você viaje no tempo, e volte ao período colonial, suas ruas são bem conservadas, e contém símbolos históricos, onde até mesmo os símbolos maçônicos causam efeitos intrigantes em quem os observa, fazendo com que reflitam sobre as épocas passadas, além das grandes igrejas, como é o caso da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sendo está a padroeira da cidade. Muito da preservação da cidade se dá ao fato de terem sido proibidos os automóveis, bonita e bem conservada Paraty atrai pessoas de todos os lugares que buscam por contato com a natureza, e suas inúmeras belezas. Chegou a ser considerada sinônima de aguardente, devido aos engenhos de cana-de-açúcar, que tiveram grande importância econômica para o município.

No século XVIII com a descoberta do ouro na região de Minas Gerais, Paraty ganhou uma nova dinâmica e se tornou destaque como importante porto onde se escoava das Minas Gerais, foi decidido pelo governador da Capitania do Rio de Janeiro que as mercadorias deveriam ingressar na Colônia pela cidade do Rio de Janeiro e tomar o ruma de Paraty, e assim partir para Minas Gerais, pelo conhecido Caminho do Ouro, que se tratava de uma trilha antiga feita pelos indígenas que habitaram o local, uma rota insegura, pois poderiam ocorrer ataques de piratas no trecho marítimo, entre Paraty e o Rio de Janeiro, porém muito importante por sua localização geográfica. Em 1710 foi proibido o transporte de ouro pela estrada de Paraty, causando uma rebelião entre os habitantes, sendo revogada, mas logo restabelecida, com a abertura do Caminho Novo que era uma rota mais curta e segura, entre o Porto do Rio e o sertão de Minas, ocorreu uma diminuição do movimento, levando a cidade a um isolamento econômico considerável.

Hoje a Estrada Real, Caminho do Ouro, está bem preservada, e em sua volta está a Mata Atlântica, encontra – se também o Parque Nacional da Serra da Bocaina, área de Proteção Ambiental do Cairuçu, e a reserva da Joatinga.

Após a construção da Rodovia Rio- Santos na década de 70 e da estrada Paraty- Cunha, Paraty se tornou um polo de turismo nacional.

Centro Histórico de Paraty

O centro Histórico é um dos destinos mais interessantes de Paraty, pois nele encontra-se todo o passado da cidade, por meios das paredes, calçadas e ruas, remonta então por volta de 1820, com as ruas “pé de moleque”, onde induz o caminhar vagaroso.

Com suas ruas traçadas da nascente para o poente, do norte para o sul, tinham leis que eram devidamente cobradas caso houvesse descobrimento, com multa ou até mesmo prisão, portanto todas as construções das moradias deveriam ser regulamentadas, podendo assim o local manter sua identidade.

Muito marcante nos desenhos das fachadas a maçonaria deixou grandes marcas. O centro histórico é hoje tombado pelo IPHAN que e o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional, sendo este responsável por preservação o patrimônio nacional.

No local não é possível a passagem dos carros, o que mantém ainda mais o local em bom estado, e interessante, aliado ao comercio variado e uma cultura muito intensa. Existem alguns lugares que é permitido a entrada de veículos para circulação, são eles: Patitiba, Domingos G. de Abreu, Aurora, e Rua Fresca.

Uma curiosidade é que a maioria das ruas do Centro Histórico tem dois nomes, fruto de decretos municipais conflitantes com o costume já instalado.

Veja a baixo os nomes duplos das ruas de Paraty:

  R. Patitiba R. Domingos Gonçalves de Abreu
  R. da Praia R. Dr. Pereira
  R. da Matriz R. Marechal Santos Dias
  R. do Comércio R. Tenente Francisco Antônio
  R. da Ferraria R. Comendador José Luiz
  R. da Lapa R. Da. Maria Jácome de Mello
  R. da Cadeia R. Marechal Deodoro

Trindade

Trindade é uma pequena Vila que fica praticamente na Divisa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, entre as cidades de Ubatuba e Paraty.

Possui uma calmaria e aconchego que conquista a todos que se propõem a conhecê-la, muito popular entre hippies nas décadas de 70 e 80, possui hoje boa estrutura para abrigar os diversos tipos de turistas: de mochileiros a famílias que vão em busca de conforto.

Para chegar ao destino a partir de Paraty, basta pegar ônibus que passa de hora em hora, com custo de 3,40 e leva aproximadamente 45 minutos, hospedar-se em Trindade também pode ser uma ótima ideia.

Mais praias

São várias as praias próximas a baia de Paraty, aproximadamente 60, nem todas possuem acesso para carros, sendo necessário o auxílio de um barco. Algumas possuem uma natureza selvagem, preservando a cultura caiçara com seu artesanato, culinária e outros meios tradicionais.

Para conhecer as mais belas praias e ilhas do local, é possível que seja preciso um passeio de barco, seja escuna ou lanchas privadas, e vale muito a pena aproveitar esse passeio.

As escunas acabam por ser uma opção mais econômica, no seu interior é vendido bebidas, almoço e porções que tem valor estimado em aproximadamente R$ 30.

São diversos os tours que podem ser contratos, e facilmente encontrados em pousadas e hostels do centro histórico, além das agências especializadas.

Também há opção de fechar passeios diretamente no cais, para quem busca algo mais privado para os amigos, em barcos menores, com mais liberdade para horários.

Lista das melhores e mais indicadas praias de Paraty:

Praias de Trindade

Praia Do Meio

Praias da Costa Leste

Praia da Ponta Negra

Praias com acesso por escuna

Praia Vermelha

Praias da Rio-Santos

Praia do Sono

Conhecer a Praia do sono pode entrar na lista de coisas que não se deve deixar de fazer em Paraty.

Umas das mais inspiradoras praias da região, a praia do sono é extremamente bem preservada, muito simples ela possui poucos bares, restaurantes e locais para hospedagem, o que a torna ainda mais encantadora para quem decide tê-la como quintal de casa por alguns dias.

A chegada se faz pela Vila do Oratório, que saem da rodoviária de Paraty com destino de hora em hora, com valores de R$ 3,40 e aproximadamente 45 minutos de viagem.

Após isso o caminho até a praia do sono se faz por meio de trilha ou então de barcos. A trilha tem 3,1 quilômetros e leva aproximadamente 40 minutos para se percorrida, para quem é amante da aventura está é uma boa pedida.

Ao fim da praia do Sono, também existe uma trilha que leva a Praia dos Antigos, são mais 700 metros, por estar localizada em um lugar alto, de lá você poderá ver a praia do sono, e assim poderá conhecer dois paraísos.

Parques e reservas

A natureza é claramente uma riqueza muito importante para Paraty, a fauna e flora do local é abundante, rica e exuberante. Porém é preciso sempre se manter atento e cuidadoso, pois as belezas naturais estão a cada vez mais passando por ameaças, todo cuidado é pouco para não poluir ou desrespeitar a natureza.

Com seu ponto geográfico privilegiado, Paraty possui cinco parques e reservas:

  • Parque Nacional da Serra da Bocaina (Plano de Manejo)

  • Reserva ecológica da Joatinga
Foto: adamutrekking.wordpress.com
  • APA do Cairuçu
Foto: tvbrasil.ebc.com.br
  • Área de Lazer Paraty-Mirim
  • Área de Preservação Ambiental da Baía de Paraty

As igrejas de Paraty

Devido a colonização Portuguesa Paraty carrega consigo uma grande influência católica, daí suas igrejas que também servem como atrativos turísticos arquitetônicos, são 4 delas no centro histórico, sendo que cada uma delas é destinada para um determinada população, como: senhoras aristocratas homens pardos libertos e escravos.

Com as igrejas veio também as tradicionais festas, que acontecem até hoje e tem grande importância, festa do Divino, Corpus Christi, Festa de Nossa Senhora dos Remédios, de Nossa Senhora do Rosário, etc.

Alambiques de cachaça

Conhecida antigamente por seus vários engenhos de açúcar, Paraty carrega consigo até hoje a importância da popularmente chamada, cachaça, alambicada em terras paratienses a partir de 1600.

Tornando-se até um codinome para a palavra cachaça, onde todos pediam uma boa dose de “Paraty”, nem mesmo o alto custo fazia com que ela perdesse seu valor, e assim tornou-se uma grande importância socioeconômica da região.

Antes eram mais de 100 alambiques de aguardente que funcionam no município, em meados de 1700, porém hoje tem apenas 7 funcionando:

– Cachaça Coqueiro

– Cachaça corisco

– Cachaça Maria Izabel

– Cachaça Paratiana e Mulatinha

– Cachaça Pedra Branca

– Cachaça Maré Cheia

– Cachaça Engenho D’Ouro

Uma das cachaças mais conhecidas do local e muito popular entre os turistas, é a Gabriela, ela é facilmente encontrada, tendo em praticamente todos os bares e restaurantes, ela possui um sabor bastante adocicado e agradável, que chega a lembrar um licor, nela se encontra cravo, canela e algumas vezes a presença de gengibre.

Um derivado da Gabriela e também indispensável na visita a região, é a bebida batizada de Jorge Amado, nela constam limão e maracujá, a acidez que essas frutas possuem dão um toque especial ao drink, e torna uma combinação perfeita, e assim como a Gabriela é facilmente encontrada nos bares e restaurantes.

Os diversos bares e restaurantes da cidade

São diversas as opções de restaurante e bares da região, a cozinha de Paraty possui o melhor da cozinha caiçara, que é uma herança dos povos que ali habitavam, com diversidade de peixes e frutos do mar, além do melhor da cozinha internacional, segue um resumo dos lugares que valem a pena visitar:

  • Armazém café e bistrô

Fica na Estrada de Paraty, a 15 minutos do Centro de Paraty, o restaurante é cercado pela Mata Atlântica, o que já se torna uma oportunidade de conhecer o caminho do ouro, e aproveitar a cachoeira do tobogã e os famosos alambiques paratienses.

Foto: tripadvisor.com

No restaurante contam defumados, doces, geleias, cachaças. Vinhos, cervejas artesanais, queijos e cogumelos, sendo este comandado pelo chefe de cozinha Fabricio Tofono.

A arquitetura permite que vocês tenham contato com diversos espécies de pássaros, pois possuí um deck de madeira, que interliga com a Mata Atlântica aos eu redor.

  • Banana da Terra Restaurante 

O ambiente de um casarão estilo colonial, com janelões que dão a sensação de interação com a área externa, tanto de dia quanto de noite, acentuando a beleza do centro histórico da cidade, além de possuir um salão com trabalhos de artistas locais, para enaltecer seus trabalhos.

Foto: restaurantebananadaterra.com.br

Possui ainda um jardim vertical, que permite a riqueza das espécies da mata atlântica, que dá acesso a uma área mais reservada.

A chefe, uma paratiense de coração, chamada Ana Bueno, que mantem forte a tradição da comida caiçara, e luta para manter suas raízes.

  • Bartholomeu  Paraty

Também localizado no centro histórico de Paraty, em  um casarão de 300 anos, Privilegiando ainda mais os seus usuários, o Bartholomeu tem acesso tanto pela Rua Samuel Costa, quanto pela Praça da Matriz, a 50 metros do estacionamento público municipal.

Foto: tripadvisor.com

O chefe é Alexandre Righetti, com uma cozinha contemporânea, de influencias francesas, tailandesa e atenção aos ingredientes do mares, além de valorizar a cozinha caiçara, com uma carta de vinhos gloriosa.

A noite em Paraty

Para quem busca por diversão a noite, o Centro Histórico de Paraty é uma boa pedida, nele são encontradas as luzes que deixam a cidade ainda mais charmosa e encantadora, dando uma sensação de viagem no tempo, transformando o passeio dos turistas ainda mais especial, onde eles podem sentar nas calçadas e ver toda a movimentação ao seu redor.

O agito fica por conta da música, e das cachaças, começando por um chopp no Paraty 33, que tem uma intensa agenda de shows, além de diversos petiscos.

A praça Matriz também é uma boa pedida para quem quer dar uma esticada na noite, com seus bares, que são localizados um ao lado do outro, e reuniões animadas, em meio as diversas cadeiras e mesas espalhadas, e assim tendo a oportunidade de conversar com diversos grupos de pessoas de diferentes nacionalidades e assim ter uma experiência ainda mais rica.

Quando se fala de música boa, é impossível não mencionar a melhor música ao vivo da região, que é no SARAU, com programação variada, entre samba, forró, rock e mais, assim que termina os shows a casa noturna Van Gogh abre as portas, para que aproveite o restante da noite.

No clandestino tem-se mais tranquilidade com o food truck da cidade, e músicas, podendo até tomar alguns drinks na passarela do álcool, que fica perto da igreja Matriz.

Para os que esperam por romance, alugar um veleiro para passear a noite a beira-mar a luz do luar é uma ótima pedida.

Hotéis e Pousadas

Abaixo segue algumas ofertas para você se hospedar, ou se preferir nesse link possui as pousadas com o melhor custo benefício de Paraty.

Booking.com

Posts Relacionados