Cáceres, Mato Grosso

Guia Completo

Entre as modalidades de turismo, o ecoturismo vem ganhando cada vez mais destaque no cenário nacional e internacional. Locais que oferecem atrativos naturais, onde é possível apreciar a natureza são cada vez mais procurados e valorizados. Cáceres, no Mato Grosso, é um deles.

Você já ouvir falar nessa cidade do interior do Mato Grosso? Sabe por que ela vem ganhando notoriedade no ecoturismo nacional? Não? Então este artigo foi feito especialmente para você. Aqui abordaremos sobre as principais informações pertinentes sobre o local. Leia e confira!

Curiosidades sobre Cáceres

O Pantanal conta com uma rica flora. Fonte: Ana Raquel S. Hernandes.
O Pantanal conta com uma rica flora. Fonte: Ana Raquel S. Hernandes.

O Pantanal é um dos biomas mais interessantes do Brasil. Presente principalmente nos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Desse modo, entre as cidades que ofertam boa infraestrutura e proximidade para você conhecer o pantanal, Cáceres merece destaque.

Ela é o principal ponto de partida para quem deseja conhecer o pantanal mato-grossense a partir do Estado do Mato Grosso. Na região Oeste do Estado, essa cidade faz fronteira com a Bolívia e oferece diversas trilhas e passeios para você conhecer as áreas alagadas do pantanal bem de perto!

Como chegar

Aeroporto internacional de Cuiabá. Fonte: Christopher Krause.
Aeroporto internacional de Cuiabá. Fonte: Christopher Krause.

Por não ter um aeroporto que receba voos regularmente, é necessário que você se desloque até a capital do Estado, Cuiabá. Ele se encontra a 212 km de Cáceres e é a principal alternativa. Dessa forma, recebe voos diariamente de várias capitais brasileiras.

Todavia, se você deseja ir para Cáceres de Carro, existe a possibilidade. De Cuiabá, é necessário pegar a BR-070 até a fronteira com a Bolívia, na cidade de Cáceres. Para quem parte de Campo Grande, é necessário pegar a BR-163.

Ademais, quem deseja ir até a cidade de Cáceres por Brasília, é necessário pegar a BR-070. De ônibus, há várias opções que partem do Terminal Rodoviário de Cuiabá, com tarifa média de R$ 50. De Brasília ou Campo Grande também há opções, porém, os custos variam de R$ 150 a R$ 200.

Lagoa da Água Milagrosa

Lagoa da Água Milagrosa. Fonte:http://turismosemcliche.blogspot.com;
Lagoa da Água Milagrosa. Fonte:http://turismosemcliche.blogspot.com;

Este local conta com excelente infraestrutura, com restaurantes, quartos, banheiros e locais para descansar. A principal atração do local é a Lagoa da Água Milagrosa, que conta com águas azuis ou verdes (depende da época do ano).

Além disso, conta com espaço para prática do Stand up paddle entre outras atividades na água.

Praia do Daveron

Vista a partir da Praia do Daveron.  Fonte: Mapio.net
Vista a partir da Praia do Daveron. Fonte: Mapio.net

Esta praia de água doce é um grande atrativo para quem mora em Cáceres. O local é ideal para quem deseja dar um mergulho, apreciar uma bela vista ou ver o pôr do sol.

Marco do Jaurú

Catedral de São Luís. Fonte: Pedro Spoladore.
Catedral de São Luís. Fonte: Pedro Spoladore.

Este é o Marco mais importante da cidade. Desse modo, é visita obrigatória. Contém Praça e Igreja. No Marco está inserida a Catedral São Luís, maior igreja da região e com inspiração neogótica (se assemelha bastante à Catedral de Notre-Dame, guardada as devidas proporções).

Além disso, o Marco do Jaurú se encontra exatamente sobre a linha imaginária do Tratado de Tordesilhas, que dividiu a América entre a Coroa Portuguesa e a Coroa Espanhola.

Museu Histórico de Cáceres

Se você é daqueles turistas que não abre mão de conhecer a cultura e história local, não pode deixar de visitar o Museu Histórico de Cáceres. Dessa maneira, esta edificação conta com um grande acervo de materiais, pinturas e elementos que contam a história local.

Reserva Ecológica Taimã

Onça-Pintada, um dos animais mais bonitos do Pantanal. Fonte: Bart van Dorp.
Onça-Pintada, um dos animais mais bonitos do Pantanal. Fonte: Bart van Dorp.

Quer ver de perto os principais animais do Pantanal de forma segura, incluindo a bela onça-pintada? Então a melhor alternativa é a Reserva Ecológica Taimã. Para maior comodidade e segurança, as visitas devem contar obrigatoriamente com guias indicados pela administração local.

Jacobina Farm

Mais um passeio para quem deseja conhecer um pouco mais da história da região. Esta fazenda guarda diversos elementos da época da colonização, incluindo as senzalas, que serviam para acomodar as pessoas escravizadas.

Além disso, o espaço conta com excelente infraestrutura. É possível almoçar no local, que oferece excelentes pratos típicos da região. Contudo, o restaurante não funciona aos sábados. Leve isso em consideração ao planejar o passeio.

Lagoa Uberaba

Rio Paraguai, que alimenta a Lagoa Uberaba. Fonte: Wikimedia.
Rio Paraguai, que alimenta a Lagoa Uberaba. Fonte: Wikimedia.

Maior lagoa da região, também é conhecida por Baía Uberaba. Conta com grande largura e é muito profunda em diversos pontos. É ideal para quem deseja fitar o horizonte e observar os raios solares cintilando sobre as ondas da Lagoa.

Serra da Mangabeira

A visita à Serra da Mangabeira compensa pela visão que proporciona, especialmente por estar localizada em uma região de cota mais elevada. Contudo, a estrada que liga a Serra à Cáceres é perigosa. Tome cuidado e dirija devagar pela região.

Arquitetura da cidade de Cáceres

Além dos atrativos que ligam a cidade de Cáceres a natureza da região, especialmente o Pantanal, há diversos elementos culturais e históricos na cidade para você conhecer. Dessa maneira, boa parte destas edificações encontram-se tombadas pelo IPHAN.

Ademais, entre as edificações, destacam-se casarões, fazendas, usinas, sítios arqueológicos nos mais variados estilos. Ademais, entre os estilos inseridos na cidade, podemos destacar o colonial, o neoclássico, o neogótico, o Art Decó e o estilo eclético.

Quando ir

O cenário no pantanal mato-grossense muda de acordo com as estações do ano. Dessa forma, você deve ficar atento quanto a isso, a fim de garantir uma melhora experiência durante a sua estadia. Mas por que isso ocorre?

A principal resposta é por conta da influência das chuvas nesta região alagável. A fim de guiar a sua viagem, separamos as possíveis visita na região entre dois períodos distintos: o da seca e o das chuvas.

O período de seca vai de maio a setembro. Nesta época, a maior parte das lagoas secam. Contudo, torna-se o período mais propício para avistar os animais do pantanal. As famosas áreas alagadas dão lugar a campos que se perdem no horizonte.

Ademais, as árvores perdem as suas folhas, com o objetivo de utilizar menos água para a sobrevivência. O cenário, que durante o período chuvoso é verde e colorido, torna-se marrom e árido. Esta é a melhor época para quem deseja ver e conhecer os animais da região.

Por outro lado, temos o período chuvoso, que costuma ser mais requisitado pelos turistas que buscam apreciar uma paisagem bastante verde e colorida. Dessa forma, este período vai de outubro a maio e é a época em que a beleza das águas do pantanal saltam aos olhos do observador.

Além disso, esta época é mais propícia para apreciar a flora local, pois as árvores e plantas se encontram em seu momento de maior beleza.

Cultura

O pantaneiro e um cavalo. Fonte: Tambako The Jaguar.
O pantaneiro e um cavalo. Fonte: Tambako The Jaguar.

O Pantanal é uma região relativamente isolada do restante do Brasil. As áreas alagadas dificultam bastante a conexão deste bioma com outras regiões brasileiras. Desse modo, tal isolamento criou uma comunidade muito distinta na região: o homem pantaneiro.

Ademais, este tipo é muito parecido com um tropeiro de áreas alagadas e passa o ano inteiro cuidado do rebanho. Aprendeu com o tempo a equilibrar a produção rural com o contexto de preservação do pantanal.

Assim sendo, a cultura do povo pantaneiro pode ser encontra em diversos elementos culturais, como nas festas e festivais tradicionais, na música, na dança e na gastronomia — assim como no seu trabalho com a terra. Ademais, lendas e folclore local também entram nesse ponto.

Dicas de viagem

O Pantanal é uma região naturalmente isolada — e esse é um dos motivos de ela ser tão atrativa. Dessa maneira, vá preparado para se isolar, pelo menos por alguns dias, do restante do mundo. Além disso, é normal que você fique sem sinal de celular e não encontre locais que aceitam cartão.

Desse modo, vá preparado para passar alguns dias imersos no pantanal e se desconectar. Aproveite para espairecer e esquecer os problemas, assim como desestressar. Além disso, não descuide da hidratação, use protetor solar, chapéu e beba bastante líquido.

Gastronomia

Piranha, um dos principais alimentos da região. Fonte: Erik Cleves Kristensen.
Piranha, um dos principais alimentos da região. Fonte: Erik Cleves Kristensen.

O pantanal mato-grossense conta com uma série de influências na sua cozinha. Dessa forma, podemos destacar os índios que habitavam a região, os pecuaristas (pantaneiros) que se estabeleceram para criar gado e a própria fauna e flora do pantanal, que incluíram produtos na dieta local.

Ademais, entre os principais pratos da região, podemos destacar o arroz de carreteiro, macarrão de comitiva (espécie de arroz de carreteiro feito com macarrão), caldo de piranha, sorvete de bocaiuva e rapadura de jaracatiá — sendo estas duas últimas saborosas frutas do pantanal.

Entre os principais restaurantes de Cáceres, citamos:

  • Churrascaria Carretão;
  • Tapera – Fogão a Lenha.

Ambos especializados em comida regional.

Conclusão

Assim sendo, Cáceres é um excelente destino no Estado do Mato Grosso que merece a sua atenção, especialmente se você for um amante de aventura e de destinos ecológicos. Desse modo, a cidade está cercada de natureza, com uma rica fauna e flora bem preservada.

Não perca tempo e conheça Cáceres!

Dica => Acomodações em Cáceres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *