Belém

A metrópole da Amazônia

Antigamente Santa Maria de Belém do Pará, atualmente conhecida como Belém do Pará ou simplesmente Belém, a cidade é uma das principais metrópoles da região Norte.  A cidade se modernizou sem perder o vínculo com sua tradição. Mas afinal, por que visitar a cidade de Belém?

Com o intuito de responder a essa questão e apresentar a Metrópole da Amazônia para você, fizemos este breve artigo para você.  Desse modo, aqui abordaremos sobre a história da capital do Pará, como chegar até lá, principais atrativos, cultura, dicas de viagem, gastronomia e muito mais. Confira!

História de Belém

Arquitetura colonial em Belém. Fonte: mike, Flickr.
Arquitetura colonial em Belém. Fonte: mike, Flickr.

Antes da chegada dos colonizadores, a região de Belém era ocupada por índios da tribo Tupinambás e Capajás. No século XVII, em 1606, é fundada a cidade de Belém, em homenagem Nossa Senhora de Belém. Durante boa parte do período colonial, foi capital do Grão-Pará, que unia Maranhão e Pará.

Desse modo, nos séculos seguintes, aproveitou o monopólio sobre diversos produtos para enriquecer e se tornar um grande centro nacional. Com localização privilegiada, era ponto de escoamento dos produtos amazônicos, incluindo o Látex, produto que fez Belém se tornar uma rica metrópole.

Como  chegar em Belém

Belém é conhecida como “Metrópole da Amazônia”. Dessa maneira, conta um aeroporto internacional próprio, denominado Aeroporto Internacional de Val-de-Cans. Este aeroporto recebe voos diários de várias capitais brasileiras, como Manaus, São Paulo, São Luís, Brasília, Rio de Janeiro, etc.

Ademais, é possível viajar de ônibus ou carro para Belém, porém não é muito recomendado. As estradas, além de se encontrarem em más condições, são perigosas, o que justifica que você as evite.

Theatro da Paz

Interior do Theatro da Paz. Fonte: Socorrosimonetti, Wikicommons.
Interior do Theatro da Paz. Fonte: Socorrosimonetti, Wikicommons.

O Theatro da Paz foi construído na cidade de Belém no século XIX, no auge do ciclo da borracha e inaugurado no ano de 1878. Apresenta em sua fachada traços do neoclássico, estilo que era novidade no país até então. A edificação se destaca por seu luxo e grande suntuosidade.

Ademais, o edifício ainda se encontra em atividade e suporta um público de mais de 880 pessoas. Caso não tenha interesse em nenhuma peça durante a estadia de Belém, vale, pelo menos, fazer uma visita guiada em seu interior para conhecê-lo.

Estação das Docas

Estação das Docas. Fonte: Cayambe, Wikicommons.
Estação das Docas. Fonte: Cayambe, Wikicommons.

Localizado na região central da cidade, a Estação das Docas é um dos principais pontos turísticos de Belém. Além de servir como docas, o local apresenta um amplo complexo de lazer, com diversos mobiliários urbanos. Funciona basicamente com um parque.

Além disso, os nativos e turistas costumam visitar a região para admirar o belo corpo d’água, assim como o pôr do sol do local.

Parque Mangal das Garças

Parque Mangal das Garças visto de cima. Fonte: Celso Abreu, Wikicommons.
Parque Mangal das Garças visto de cima. Fonte: Celso Abreu, Wikicommons.

É o principal Parque da região metropolitana de Belém. Projetado pela paisagista reconhecida internacionalmente, Rosa Grena Kliass. O Parque é totalmente adaptado para o clima, flora e fauna do Estado do Pará. Desse modo, é o mais conservado e propício para um bom passeio.

Além da paisagem verde, com diversas plantas do bioma local, o Parque dispõe do Museu Amazônico da Navegação, Armazém do Tempo, Manjar das Garças, O Farol de Belém, Orquidário, Borboletário e Criatório e Viveiro de Plantas. Desse modo, é um passei que demanda pelo menos um dia de visitação.

Ver-o-peso

Mercado ver-o-peso. Fonte: mike, Flickr.
Mercado ver-o-peso. Fonte: mike, Flickr.

Não tem como conhecer verdadeiramente uma cidade sem visitar o seu principal mercado popular. Desse modo, o ‘ver-o-peso’ é visita obrigatória para quem chega em Belém do Pará,

É considerado o maior mercado a céu-aberto da América Latina, e existe desde o ano de 1688, no século XVII. Além disso, é o melhor local para comprar produtos tipicamente amazônicos, artesanatos e lembranças para amigos e familiares.

Círio de Nazaré

Círio de Nazaré em Belém. Fonte: Celso Abreu, Flickr.
Círio de Nazaré em Belém. Fonte: Celso Abreu, Flickr.

O Círio de Nazaré é a festa religiosa mais importante do Pará, além de ser a que mais recebe pessoas. Segundos muitos especialistas, é a maior procissão religiosa do país, chegando a reunir mais de 2 milhões de pessoas a cada ano.

Celebrado em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, o evento ocorre desde o século XVIII e é um dos mais tradicionais do país. Em 2004, a o evento foi declarado patrimônio imaterial do país e em 2013, patrimônio mundial pela UNESCO.

Ademais, entre as romarias oficiais do evento, temos a Traslado, Romaria Rodoviária, Romaria Fluvial, Moto-Romaria. Transladação, Procissão do Círio, Ciclo-Romaria, Romaria da Juventude, Romaria das Crianças, Procissão da Festa e Recírio. Nelas os devotos aproveitam para pagar promessas à santa.

Ilha de Marajó

Praia na Ilha do Marajó. Fonte: Celso Abreu, Flickr.

Desde de 2016 há uma linha de barco que faz o trajeto de Belém para a Ilha de Marajó em até 2 horas. Ele sai de Belém às 8 h da manhã e comporta 150 pessoas. Lá você conhecerá um pouco da vida selvagem amazônica, além de entrar em contato com búfalos e outras espécies.

Ilha do Combu

A Ilha de Combu, localizada na região metropolitana de Belém, consiste numa ilha tipicamente amazônica, imersa em sua vegetação. Desse modo, este passeio é indicado para quem deseja conhecê-la a funda, além de poder aproveitar a culinária local de forma mais intensa.

Dessa maneira, os passeios até a região são feitos por meio de barco e você pode aproveitar o momento para tomar banho de rio.

Feira do Açaí

Açaí, principal produto da Feira do Açaí. Fonte: Camila Neves Rodrigues da Silva, Wikicommons.
Açaí, principal produto da Feira do Açaí. Fonte: Camila Neves Rodrigues da Silva, Wikicommons.

Se você é desses que adora uma feira popular com produtos regionais, não pode deixar de visitar a Feira do Açaí, localizado ao lado do ‘Ver-o-Peso’. A visita deve acontecer no começo das manhãs, quando os produtos estão mais frescos e a oferta é maior.

Além disso, você pode experimentar açaí fresco no melhor local de Belém. O Vale destacar que o açaí paraense é diferente do que se vende no restante do país. Além do produto ser mais forte, ele é misturado a farinha de mandioca, tapioca e camarão — nada doce, portanto.

Quando ir para Belém

Belém apresenta um clima tropical e é fortemente influenciada pela floresta Amazônica. Desse modo, a cidade apresenta altas temperaturas e alta umidade. A cidade contém uma estação chuvosa que vai de dezembro a abril, em que a cidade presencia verdadeiras tempestades.

Ademais, nos meses de junho a novembro é a estação seca em Belém, em que as chuvas dão uma amenizada e os passeios se tornam mais tranquilos. Desse modo, escolha este segundo período.

Além disso, caso você tenha interesse na festa do Círio de Nazaré, a sugestão que fica é viajar até Belém no mês de outubro, quando o evento acontece. Reserve passagem e estadia com antecedência, pois os preços aumentam bastante nessa época.

Cultura

A cultura em Belém é bastante rica e tem a Amazônia como principal elemento. Além disso, recebeu contribuição de diversos povos, principalmente dos indígenas e colonizadores portugueses.

Desse modo, entre as principais manifestações culturais do Pará, podemos citar o evento do Círio de Nazaré — já mencionado anteriormente, os ritmos como calypso, brega e tecnobrega, a culinária com forte influência indígena, a arquitetura colonial e da Belle Époque paraense, da época do ciclo da borracha.

Dicas de viagem

Além de visitar a cidade durantes os meses de estiagem, de junho a novembro, é importante ressaltar outras coisas. Em primeiro lugar, vale destacar que Belém tem fama de precipitação de pancadas de chuva durante todo o ano, mesmo no período seco.

Ademais, estas chuvas rápidas geralmente ocorrem no meio ao final da tarde. Além disso, vale destacar que a cidade apresenta grande calor e nível de insolação, apesar da cidade ser bem arborizado. Dessa maneira, não esqueça de beber bastante líquido e passar protetor solar.

Apesar do estigma que a Amazônia passa para os visitantes, Belém é uma metrópole nacional e dispõe de uma excelente infraestrutura. Desse modo, é porta de entrada tanto para quem deseja conhecer a floresta mais a fundo, quanto para quem almeja conhecer arquitetura, história e cultura de Belém.

Gastronomia

Tacaca, comida típica do Pará. Fonte: Foreade, Wikicommons.
Tacaca, comida típica do Pará. Fonte: Foreade, Wikicommons.

Assim como diversos aspectos da cultura paraense, a culinária local tem fortes influências indígenas. Entre os principais pratos e produtos da gastronomia local, podemos destacar o Tacacá, açaí, farinha de mandioca, tapioca, além de frutas e doces derivados do bacuri, buriti, cupuaçu, etc.

Entre os principais restaurantes de Belém, podemos destacar:

  • Restaurante Point do Açaí, especializado em culinária regional e açaí;
  • Tomaz Culinária Do Pará, especializado em culinária paraense.

Conclusão

Assim sendo, Belém do Pará é uma ótima porta de entrada para a Amazônia. Além disso, você pode aproveitar para visitar a região litorânea do Algodoal, caso queira curtir uma boa praia.

Desse modo, por tudo que foi apresentado, Belém é um destino obrigatório na região norte. Apresenta grande riqueza cultural, arquitetônica e histórica, além de ser porta de entrada para a maior floresta tropical do mundo, a Amazônia.

E você, o que está esperando para conhecer a capital do Pará?

Dica => Acomodações em Belém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *